Agente de saúde contratado para o combate à malária, Arlindo foi um dos milhares de servidores do Estado do Paraná que foram mobilizados para ajuda ao combate ao fogo ou à assistência aos flagelados naquele ano de 1963. Prestou intenso apoio também no transporte de insumos a partir de Ponta Grossa que centralizava muitas ações no episódio.

Entrevista: José Luiz Alves Nunes

Imagens e edição: Fernando Bianchi

Local: Tibagi, Novembro de 2014.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *