Nascido em 1954, à época dos incêndios Manoel Luiz Alves Nunes tinha 9 anos de idade. Em seu depoimento, dividido em duas partes, conta que não se lembra dos incêndios, pois não atingiram a área onde moravam, no distrito da Warta, mas a seca, muito forte, criava uma “capa” de 5 a 6 centímetros sobre o solo, ruas e estradas. Lembra-se de que os padres jesuítas trouxeram as missões da Igreja Católica nesse distrito e que instalaram um cruzeiro de peroba de cerca de 20 metros de altura na região conhecida como Serrinha, caminho para Bela Vista do Paraíso. Acredita que de 50 a 60 homens, orientados pelos jesuítas, cavaram um buraco e providenciaram uma rampa em terra para deslizar a cruz e fixá-la no ponto mais alto, onde viriam fazer as orações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *